Domingo, 11 de Maio de 2008

O outro lado d'O "desinteresse" dos jovens pela Política (XVI)

Como resposta ao desafio proposto, enviamo em anexo um documento referente ao afastamento dos jovens da politica.
Grupo Vila do Conde.com
http://vila_do_conde_ponto_com.blogs.sapo.pt

 

            A Educação em Portugal é focada diariamente nos telejornais e jornais nacionais. Há uma grande preocupação em formar os alunos da melhor maneira possível: direccionados, com métodos muito pouco ortodoxos, para arrecadarem boas notas, independentemente de compreenderem ou não o que lhes foi ensinado.
            Estamos a formar jovens que decoram e não percebem nem reflectem acerca do que lhes é ensinado. A culpa não é dos professores, é dos extensos programas que têm que são obrigados a cumprir. Não há tempo para reflectir em conjunto com a turma acerca de determinado tema. Há a preocupação de se ensinar tudo e mais alguma coisa. Para quê? Não é nada prático. Um aluno não é ensinado a lidar com uma situação que viverá quando exercer a sua profissão. Chama-se a isto educar?
            No dia 25 de Abril ouvimos palavras como estas proferidas no discurso do nosso Presidente da República, Professor Cavaco Silva, "O alheamento da juventude não pode deixar de nos preocupar a todos, a começar pelos agentes políticos. A começar por vós, senhores deputados". Isto é algo que já não saibamos? Se perguntarmos a um jovem português qual a diferença entre um partido de direita e um partido de esquerda, este não nos saberá responder. A razão é muito simples: isso não lhes é ensinado. Aqui está o problema. Como pode um jovem ter interesse numa área que não depreende?
            Este facto é inadmissível. Estamos a formar jovens que não se preocupam com o futuro do nosso país. Há uns anos atrás, era difícil aceder aos meios de comunicação e, mesmo assim, a juventude manifestava-se. É necessário inverter esta situação, mas como?
            Uma medida possível poderia passar pela criação de um conteúdo programático numa dada disciplina comum a todos os alunos, que procurasse dar a conhecer umas noções básicas de política aos jovens. Outra solução para este problema seria a criação de um programa televisivo direccionado para esta faixa etária, onde, de uma forma mais apelativa formaria pequenos entendedores nesse assunto.
            São tantas as reformas que se têm feito no ensino e nenhuma delas visa ensinar a juventude a reflectir e a pensar por si própria. Isto sim, é muito grave, pois o futuro do nosso país parte destes jovens. Se não houver interesse no funcionamento de Portugal, como o poderão governar? Vamos cair novamente numa ditadura?
 
 
Grupo Vila do Conde.com
Fábio Fernandes
Fátima Gonçalves
Mariana Catarino
Raquel Silva
Escola Secundária D. Afonso Sanches-Vila do Conde
http://vila_do_conde_ponto_com.blogs.sapo.pt
 

publicado por JCM às 22:40
link do post | comentar | favorito

Informação

pesquisar

 

APOIOS E PATROCÍNIOS


APOIOS INSTITUCIONAIS Universidade de Aveiro
Ministério de Educação - DGIDC
Secretaria de Estado do Ordenamento do Território e Cidades
Secretaria de Estado Administração Local
Instituto Nacional de Estatística
Instituto Geográfico Português
IGESPAR
Comissão Nacional da UNESCO
Associação Nacional de Municípios Portugueses
Gabinete do Plano Tecnológico
Programa Cidades e Regiões Digitais
Ciência Viva

PATROCINADORES OFICIAIS REVIGRÉS
Portal SAPO
EL CORTE INGLÊS
APOIOS E PATROCINADORES ASSOCIADOS Semanário Expresso
Casa da Música
Fundação de Serralves
Fórum Estudante
FNAC
Ciência Hoje
Fábrica Centro de Ciência Viva
Moinho da Carvalha Gorda
Parque Expo
Farol de Ideias

Comissão Científica do Concurso

- António Câmara (Y-Dreams)
- Artur Rosa Pires (Univ. Aveiro)
- Eduardo Anselmo Castro (Univ. Aveiro)
- Emília Sande Lemos (APG)
- Ângela Fernandes (investigador UA, Presidente da APPLA)
- Jaime Quesado (Programa Cidades e Regiões Digitais)
- João Caraça (Fundação Gulbenkian)
- Jorge Carvalho (Univ. Aveiro)
- Júlio Pedrosa (Univ. Aveiro)
- Manuel Assunção(Univ. Aveiro)
- Leonel Moura (artista plástico)
- Maria Luís Pinto (Univ. Aveiro)
- Paulo Ribeiro (produtor cultural) - Rosália Silva (Ministério da Educação - DGIDC)

Rede Criativa de Associação de Professores

Associação de Professores de Matemática

Associação de Professores de Geografia

Associação de Professores de Português

Associação de Professores de Filosofia

Associação de Professores de História

Associação de Professores de Biologia e Geologia

Associação de Professores de Física e Química

Associação de Professores de Ciências Económico-Sociais

Associação Nacional de Professores de Educação Visual e Tecnológica

Associação de Professores de Expressão e Comunicação Visual

Associação Portuguesa de Professores de Inglês

Associação Portuguesa de Professores de Francês

Referências

Nacionais
1. ANMP - Cidades criativas
2. Atlas das cidades - INE
3. Política de cidades - Secretaria de Estado do Ordenamento e Cidades
4. A Ciência e a cidade - Fundação Gulbenkian
5. A Ciência e a cidade - TSF
6. Mês das cidades - Expresso
7. Trienal de Arquitectura de Lisboa


Internacionais
1. Charles Landry
2. Richard Florida
3. Creative City - UNESCO
4. Creative City Network of Canada
5. Intercultural city
6. Project for public space

Cidades criativas UNESCO
UNESCO Cities of Craft and Folk Art
Aswan, Egypt
Santa Fe, New Mexico, USA

UNESCO Cities of Design
Berlin, Germany
Buenos Aires, Argentina
Montreal, Canada

UNESCO City of Gastronomy
Popayan, Colombia

UNESCO City of Literature
Edinburgh, UK

UNESCO Cities of Music
Bologna, Italy
Seville, Spain

arquivos

Fevereiro 2011

Outubro 2010

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Abril 2007

tags

todas as tags

SAPO Blogs

subscrever feeds